terça-feira, 7 de setembro de 2010

Carta escrita por Jackeline Sarah para o Presidente Lula


Exmo. Senhor Presidente da República Federativa do Brasil
Luís Inácio Lula da Silva

Inicialmente, peço a Vossa Excelência que me autorize a chamá-lo apenas de Senhor Presidente, ainda que reconheça sua distinta posição e o respeite como autoridade na Nação brasileira. Saiba, Senhor Presidente, que oro frequentemente para que o senhor tenha sabedoria vinda de Deus para governar o nosso Brasil, já que tenho convicção de que a autoridade de que o senhor está investido provem de Deus.

Sou brasileira, mãe de três brasileiros, professora, escritora e cristã. Tenho sido uma de suas eleitoras, há muitos anos. Reconheço e agradeço por tudo aquilo que o senhor tem feito e que resultou em bem para o nosso povo.

O que me leva a escrever, no entanto, é o fato de haver tomado conhecimento do Decreto Presidencial 7037, assinado pelo senhor, em 21/12/2009, aprovando o PNDH-3, tendo, inclusive, lido o documento na íntegra. Nele, em meio a uma série de providências que poderiam ser consideradas positivas, percebi, com muita decepção, que o senhor se coloca a favor de várias tentativas contra a vida, a família, a liberdade de expressão, a fé.

Como, Senhor Presidente, poderia eu não me sentir traída e decepcionada? Com todo o respeito que lhe devo, permita-me perguntar:

    Como cristão católico, o senhor realmente assinou sem ler um documento onde pede a descriminalização do aborto, a legalização das chamadas profissões do sexo, a desconstrução da família, a aceitação de outras opções sexuais além daquelas criadas por Deus e referidas na Bíblia?  Senhor Presidente, o senhor pretende realmente controlar a liberdade da imprensa e da expressão da fé no país, contrariando a nossa própria Constituição?

O texto de Abertura do PNDH 3 informa que 14.000 pessoas participaram do processo de elaboração e a palavra democracia recebe destaque. Por isso, peço ao senhor que considere estes dados: tenho informações, nas quais confio, de que, no Brasil, há 94% de pessoas que se declaram cristãs, nas mais diversas denominações religiosas; por outro lado, há uma minoria, ainda que organizada, pertencente ao movimento LGBT. No entanto, ainda que os militantes da causa LGBT representem esta minoria, os supostos direitos deles tem sido preferidos pelo senhor, em detrimento das convicções e da opinião dos 94% de cristãos brasileiros, que tem a Bíblia como referencial de fé e prática.

Por isso, decidi escrever. Para dizer claramente ao senhor, seus ministros, secretários e assessores que eu e, deveras, a esmagadora maioria dos brasileiros, com base em nossa FÉ em Jesus Cristo,

SOMOS CONTRA

  • A DESCRIMINALIZAÇÃO DO ABORTO;
  • A ADOÇÃO DE CRIANÇAS POR CASAIS HOMOAFETIVOS;
  • A PRÁTICA DE PEDOFILIA E INFANTICÍDIO;
  • A LEGALIZAÇÃO DO CASAMENTO ENTRE PESSOAS DO MESMO SEXO;
  • A EXISTÊNCIA DE PROGRAMAS EDUCACIONAIS QUE VISEM ENSINAR AOS NOSSOS FILHOS VALORES DIFERENTES DAQUELES EM QUE ACREDITAMOS, AINDA QUE A PRETEXTO DE DEFESA DOS DIREITOS HUMANOS;
  • TUDO O QUE VISE DESCONSTRUIR A FAMÍLIA TAL QUAL ELA FOI CRIADA POR DEUS E ESTÁ RELATADO NA BÍBLIA, OU SEJA, COM PAI (HOMEM), MÃE (MULHER) E SEUS FILHOS;
  • UTILIZAÇÃO DA VERBA PÚBLICA PARA DISSEMINAR VALORES CONTRÁRIOS AO RESPEITO À VIDA (AINDA QUE DOS FETOS), À FAMÍLIA, À LIBERDADE DE EXPRESSÃO E DE FÉ;
  • RECONHECIMENTO DAS CHAMADAS PROFISSÕES DO SEXO;
  • RECONHECIMENTO DE OUTRAS OPÇÕES SEXUAIS, AFINAL, COMO CRISTÃOS DEFENDEMOS A HETERONORMATIVIDADE QUE O PNDH-3 SUGERE DESCONSTRUIR;
  • O FINANCIAMENTO DE CAMPANHAS ELEITORAIS COM VERBA PÚBLICA;
  • O FINANCIAMENTO DE TRATAMENTOS À POPULAÇÃO LGBT E SEUS FAMILIARES, COM VERBA PÚBLICA;
  • A INTERFERÊNCIA E TENTATIVAS DE CONTROLE DO GOVERNO (LAICO) SOBRE AS RELIGIÕES, JÁ QUE O BRASIL É UM ESTADO LAICO.         
Somos, ainda, A FAVOR DA LIBERDADE DE IMPRENSA, DA LIBERDADE DE EXPRESSÃO, DO RESPEITO A TODAS AS PESSOAS, AINDA QUE SEJAM DIFERENTES DE NÓS EM SUAS CRENÇAS OU OPÇÕES.

Senhor Presidente, não discriminamos os homossexuais como pessoas e, apesar de amá-los, não podemos aceitar que o homossexualismo seja ensinado aos nossos filhos como correto, como uma opção de vida, porque isso fere a nossa fé, sendo que, no Brasil, somos livres para crer em Jesus Cristo e viver de acordo com o que cremos, conforme nossa Constituição garante.

Senhor Presidente, não podemos aceitar que crianças sejam mortas nos ventres de suas mães, a qualquer tempo, porque nossa fé nos ensina que Deus conhece a cada um de nós desde o ventre materno, enquanto ainda éramos uma substância informe, e interromper suas vidas significa praticar homicídio.

Senhor Presidente, iniquidade social será o que teremos no Brasil se houver a implementação de leis e programas como os que são sugeridos no PNDH-3!

Por favor, Senhor Presidente, em nome da democracia, respeite aos 94% de brasileiros que se declaram cristãos e, ao assim se declararem, colocam-se contra o que é proposto no PNDH-3, nas áreas que mencionei!

Tenho que reconhecer, Senhor Presidente, que, diante de sua atitude ao assinar o Decreto, tendo lido ou não o seu texto, arrependo-me de haver confiado meus votos ao senhor e pretendo não votar, nas futuras campanhas, no senhor e nem mesmo nos candidatos a que o senhor ou seu partido apresentarem. Por fim, quero que saiba que continuaremos, eu e os cristãos brasileiros, a orar para que o senhor receba sabedoria para governar o Brasil, sabedoria vinda de Deus, a quem, um dia, o senhor prestará contas dos seus atos no uso da autoridade que lhe foi concedida por Ele.

Respeitosamente,

Jackeline Sarah
Cidadã brasileira e cristã
Janeiro/2010


Nenhum comentário: