quinta-feira, 15 de julho de 2010

O QUE IGREJA É

A palavra origem carrega em si o significado de princípio, começo, proveniência, base. A Bíblia, para além do Gênesis, fala muito sobre origem.

E foi pensando em origem que me lembrei de que havia na Terra uma só língua quando Deus criou o homem e sua mulher. Deus falava com eles e eles O compreendiam. Não sei que idioma era aquele, mas  é certo que quando Deus escolhia uma palavra para comunicar o que queria dizer, homem e mulher a ouviam, entendiam e falavam. Por isso, o Homem não teve nenhuma dificuldade em entender qual era o propósito de Deus ao criá-los e colocá-los num pedaço da Terra que era um maravilhoso Jardim. Deus disse que queria que Adão e Eva crescessem, até que seu espírito estivesse pronto e pudesse frutificar e tomar as decisões que dariam prazer ao Pai, chegando a se tornar como Jesus; disse que queria que eles se multiplicassem e, já que eram imagem e semelhança de Deus, cheios do sopro de vida do Seu Espírito e estariam crescidos até a semelhança de Jesus, gerassem outras pessoas como eles; disse que queria que enchessem a Terra com a imagem e semelhança de Deus, incontáveis filhos maduros iguais a Jesus, dependentes do Seu Espírito, caminhando, não apenas no Jardim, mas na Terra toda, que, na medida em que avançassem, também, seria transformada num lindo jardim, onde a Glória de Deus encheria a Terra como as águas cobrem o mar; disse que queria que eles sujeitassem a Terra e dominassem sobre tudo o que estava nela, estabelecendo na Terra o Reino de Deus, já estabelecido nos céus.

Quando a serpente seduziu Eva, o fez usando palavras, que desvirtuaram o que Deus havia realmente dito a eles sobre a Árvore do Conhecimento do Bem e do Mal. Daí por diante, a comunicação foi ficando difícil. Mas, ainda assim, havia uma só língua e os descendentes de Adão podiam se entender e entender o que o Senhor dizia.

Tudo, no entanto, caminhou para que Deus viesse a confundir as línguas, no episódio da Torre de Babel. A partir dali, os Homens não conseguiam mais se entender e passaram a falar muitos idiomas. Penso que, também, por causa disso, deixamos de entender muitas coisas que Deus quis dizer a nós. 

Com um estudo simples, podemos entender que o Espírito de Deus escolheu para usar na Bíblia algumas palavras comuns e com conotação cultural evidente aos judeus, usando termos em hebraico/aramaico e, no Novo Testamento, em grego, já que a comunicação passava a ser, também, para os gentios, e sendo possível encontrar similaridade entre as  palavras utilizadas no grego com relação ao hebraico/aramaico.

Algumas palavras comuns, cotidianas, ganharam um significado muito especial ao serem utilizadas por Deus para comunicar ao Homem o Seu propósito. No entanto, na medida em que o Evangelho foi chegando aos povos mais diversos, cada um com seu próprio idioma e conotações culturais diferentes para as palavras, alguns termos começaram a ser utilizados fora do seu contexto, fora do seu significado etimológico e fora da forma em que o Espírito os colocara. Isso tudo aliado ao fato natural e corriqueiro de que os significados das palavras mudam com o decorrer do tempo...

Precisamos estar atentos e perceber que Deus escolheu usar determinadas palavras, considerando sua etimologia, ou seja, sua origem no que diz respeito aos elementos que as constituem, e considerando sua conotação cultural, ou seja, o contexto vivido pelos povos que podiam compreender aquelas palavras, e considerando a finalidade com a qual Ele as utilizava, ou seja, o que Deus queria dizer com o que disse.

Assim, não podemos ler a Bíblia inadvertidamente, distraidamente. Deus escolheu algumas palavras específicas, para transmitir conceitos e princípios sobre Seu Reino e Seu propósito, e não podemos utilizá-las a partir das mutações que sofreram, seja pelo tempo, pela nossa cultura ou por imposição da tradição religiosa, sem que, com isso, estejamos sujeitos a perder a revelação feita através do uso daquela palavra.

Muitas palavras há, hoje, que utilizamos sem temor de Deus, distorcida ou equivocadamente, ainda que todas as nossas intenções ao usá-las sejam sempre boas. Estamos condicionados a pensar em muitas coisas a partir do que aprendemos, a partir dos dogmas, paradigmas e fortalezas formadas em nossa mente.

Um exemplo triste e marcante disso é o uso que fazemos da palavra igreja, na atualidade. Todos sabemos que  palavra igreja é comumente utilizada com alguns significados:
1. prédio onde se reúnem pessoas que professam uma mesma crença, no caso, em Jesus, para realizar missas ou cultos e outras atividades (Ex: Vamos à igreja no domingo.);
2. grande associação ou confederação de muitos membros que professam uma mesma crença, no caso, em Jesus (Ex. a Igreja Católica Romana, a Igreja Ortodoxa, a Igreja Protestante);
3. denominação de uma organização civil, composta por membros que professam uma crença comum, no caso, em Jesus (Ex.: Sou membro da Igreja Batista Independente.)

Tais significados, no entanto, divergem do significado que a palavra igreja tem nas Escrituras Sagradas. Quando o Espírito Santo quis escrever igreja na Bíblia, em nenhum momento, quis comunicar qualquer um dos três significados que descrevi acima. Ao contrário, a palavra igreja aparece no Novo Testamento cento e quinze vezes*, sem que nunca se refira a um prédio, a uma confederação mundial ou a uma denominação religiosa. Aliás, a palavra igreja nunca foi ligada especificamente à religião.

Como conotação cultural, a palavra igreja tinha, à época de Jesus e para o povo judeu, o significado de reunião, ajuntamento de pessoas, convocadas para algo. Um significado parecido ao da palavra sinagoga, mas envolvendo uma convocação mais específica para aquelas pessoas. Uma vez usada pelo Espírito Santo, a palavra igreja passou a significar, com muita propriedade, a reunião de pessoas convocadas por Deus com uma finalidade específica.  

Assim, algumas vezes temos sido ensinados por irmãos que entendem que temos emprestado significados errados à palavra, que igreja significa 'a assembléia dos chamados para fora do mundo'.  Este significado já representa um grande avanço com relação aos três anteriores, uma vez que esclarece que igreja trata-se de reunião de pessoas e não do prédio ou instituição em que se reúnem.

A etimologia da palavra igreja, no entanto, há de abrir nossos olhos, para que entendamos o que o Senhor realmente quis dizer quando disse Igreja. Em hebraico, a palavra igreja corresponde a  כנסיה. No grego, a Εκκλησία (Ekkli̱sía). Analisando a etimologia da palavra no grego, ou seja, sua origem a partir dos elementos que a constituem, temos o prefixo Εκ, que significa origem (ponto de onde uma ação ou movimento procedem), somado a κλησία ou kaleo (chamado ou convocado para). Assim, segundo a etimologia, temos que igreja significa  
literalmente 'chamado para a origem'. 


Tranquilamente, podemos agregar ao significado etimológico a conotação cultural da palavra igreja para o povo judeu (ajuntamento de pessoas convocadas para uma finalidade específica) e temos que igreja é a reunião das pessoas chamadas para voltar à origem.

Ao lermos Efésios 1, compreendendo que, desde antes da fundação do mundo, Deus quis ter filhos que Lhe dessem prazer, reunidos em Jesus, podemos seguramente afirmar que, no caso da Igreja, quem faz o chamado, a convocação para aquelas pessoas é o próprio Deus e quem possibilita que este chamado seja cumprido é Jesus, Seu Filho, enviado para esta missão. Já podemos, então, conceituar Igreja de acordo com aquilo que o Senhor quis expressar quando disse este termo:

IGREJA É A REUNIÃO DAS PESSOAS CHAMADAS POR DEUS PARA VOLTAREM À ORIGEM, EM JESUS.

Alegro-me, porque esta definição é muito diferente de tudo o que temos dito e ouvido, mas está perfeitamente alinhada com aquilo que o Pai quer fazer com Seus filhos até a volta de Jesus.

Como disse, a palavra igreja nunca esteve associada à religião, assim, Jesus nunca mencionou a organização de uma denominação religiosa ou de grandes confederações mundiais para os que nEle cressem. O Espírito Santo nunca usou o hebraico בית מקדש, nem o grego ναός (naós), que significam templo (o prédio), quando se referiu à Igreja. Não! A palavra sempre é Εκκλησία (Ekkli̱sía) e, portanto, sempre se refere à reunião das pessoas que crêem em Jesus e, nEle, são chamadas a voltar à origem, como o Pai sonhou.

Quando Deus criou Adão e Eva e os pôs naquele Jardim, eles puderam compreender o que o Senhor lhes dizia sobre o propósito de sua existência, pois o sentido das palavras que Deus usava era claro para eles: falavam a mesma língua. Jesus gerou a Igreja, como disse a Pedro que faria, a partir da revelação de que Ele é o Filho de Deus, enviado pelo Pai com uma missão específica. Mas, infelizmente, a Igreja não tem conseguido entender Suas Palavras e o seu próprio propósito de existir, porque as palavras ditas tem sido largamente distorcidas e o império das trevas tem triunfado em manter cegos os olhos dos filhos de Deus, que reunidos em Jesus, são a Igreja. 

No Novo Testamento, salvo uma vez em que é utilizada no sentido mais comum de ajuntamento de pessoas para uma finalidade, a palavra igreja é usada 1) para designar o conjunto daqueles que crêem em Jesus e estão reunidos nEle, em todos as épocas e lugares; e 2) o conjunto daqueles que crêem em Jesus e estão reunidos nEle, vivendo em uma determinada época e localidade. No primeiro caso, refere-se à Igreja, o Corpo de Cristo; no segundo, refere-se às igrejas locais, a Igreja que está geograficamente presente em uma cidade. Isso não é motivo de confusão, já que, enquanto não estivermos fisicamente reunidos no Senhor, ainda que o estejamos espiritualmente, viveremos em um local geográfico e, nele, deveremos nos reunir aos irmãos, por causa de Jesus. Note-se, contudo, que, em ambos os casos, a Igreja é a reunião de pessoas que crêem em Jesus e são chamadas por Deus para voltarem à origem.

Como comecei dizendo, origem fala de princípio, começo, proveniência, base. No caso da Igreja e de cada filho de Deus, que o Senhor nos faça apreender a verdade de que voltar à origem não se limita a nos tornarmos novamente como a Igreja Primitiva (ainda que tenha sido fantástica a sua vivência e porque até mesmo aqueles primeiros filhos de Deus foram chamados para voltar à origem), nem significa que temos que voltar geograficamente para o Paraíso, o Jardim do Éden (ainda que tenha sido fantástico viver lá e porque Deus pôs o Homem ali para que caminhasse na direção de cumprir o Seu sonho, que é nossa origem mais remota e no qual toda a Terra será transformada num Jardim pelos Seus filhos). 
Para os filhos de Deus, voltar à origem significa voltarmos a ser o que o Pai sonhou que seríamos e retomarmos o cumprimento do propósito de Deus para nossas existências de onde o primeiro Adão falhou. Adão não conseguiu cumprir sua missão de crescer, multiplicar-se, encher a Terra e dominar sobre ela e afastou-se do propósito de Deus de que o Seu Reino seja estabelecido na Terra, como é no céu.
Sendo Igreja, somos chamados a voltar ao ponto de onde o movimento do Homem na Terra procede e cumprir nossa missão, dentro do propósito eterno de Deus. Estamos capacitados a isso, porque Jesus, o Segundo Adão, foi enviado com a missão específica de quitar nossa dívida com o Pai e nos possibilitar acesso a Ele e ao Seu plano imutável de nos ter como Seus filhos amados que Lhe dão prazer como Jesus, vivendo no Reino que para nós preparou antes de nos criar e praticando as boas obras que fez para que andássemos nelas, antes que o mundo existisse. 
Ora, para Adão, as boas obras foram descritas como 'frutificar, multiplicar-se, encher a Terra e dominar sobre ela'. Para a Igreja, as boas obras que Deus preparou para que andássemos nelas foram ditas por Jesus: indo, levem as boas notícias do Reino, fazendo discípulos, batizando-os e ensinando-lhes a guardar os Meus mandamentos, contando com Minha Presença até o fim, que só acontecerá quando tudo isso for aplicado a todas as Nações (Mateus 28:19 com Mateus 24:14). Como Adão, somos chamados a crescer (até o tamanho de Jesus) para dar frutos, multiplicar-nos (através da formação de discípulos que se tornem filhos maduros), encher a Terra (com a vida de Deus vivendo na prática em cada filho maduro, mergulhado em Sua Glória) e dominar sobre ela (expandindo o Reino de Deus e estabelecendo o Seu Governo, na Terra, como é no céu).
Isso é ser Igreja. Os apóstolos, os discípulos de Jesus das primeiras gerações começaram a fazer isso e transtornaram cidades de quase todas as Nações. Note que a palavra transtornar significa 'desorganizar', de onde temos entendido que as boas notícias do Reino de Deus, pregadas e vividas por seus filhos maduros em cada cidade, podem desorganizar o sistema do mundo que jaz no maligno naquela cidade e levar as Nações de volta ao propósito do Pai, à origem.  Foi assim, até que a Igreja foi enquadrada no sistema religioso de Constantino e deixou de se ver como Igreja nas localidades, para se ver como um prédio e uma organização humana chamada, equivocadamente, de "igreja".

Embora estejamos falando de origem, perceba que Jesus disse que o fim somente virá quando as boas notícias de Seu Reino forem levadas a todas as pessoas, em testemunho a todas as Nações. Creio que as cidades de nossa época podem ser transtornadas com o Evangelho do Reino. Mas, a primeira boa notícia que precisamos ouvir e receber em nosso espírito é que o Pai está nos chamando para voltarmos a ser e a fazer aquilo que Ele sonhou para nós, partindo do ponto de origem do nosso movimento sobre a Terra: exatamente onde Adão falhou e escolheu fazer a própria vontade e não a vontade de Deus. E fazer a vontade de Deus nos levaria a exercer o Governo sobre toda a Terra, estabelecendo o Reino de Deus aqui. E é sobre isso que, ainda, temos muito a refletir, escrever e viver...

Que o Espírito do Senhor ilumine seu espírito e Você possa compreender qual a esperança do seu chamado, em Jesus. Amém.

Jackeline Sarah
15/07/2010


1 Comentário
Blogger Iara disse...







"Igreja! O Q é?
À luz da palavra, o que é a Igreja?

A Igreja é a união de todos os Santos, (ou protótipos de Santos) q existem na face da terra. E pela palavra, ainda não conseguimos, (nem queremos) nomeá-la, como por exemplo: Batista, Metodista, Menonita, Assembléia de Deus, e etc... (não cito esses nomes para envergonhar nenhum dos meus irmãos que se reúnem nesses lugares, pelo contrário...). Na bíblia não achamos nomeação para essa Noiva, os apóstolos se referem, á igreja que esta em Corinto (cidade), a igreja que esta em Tessalônica (cidade) então na palavra os irmãos que se reuniam, no templo e nas casas não tinham nomeação nem denominação!

Mas? Onde ela está? No mundo todo. Quantos membros tem? Milhões. Qual é o Ministério? Andam segundo os fundamentos dos apóstolos e profetas. Quem é o Pastor principal? O cabeça é Cristo, mas há muitos irmãos que auxiliam, como "líderes" do povo, dentro de seus ministérios (apóstolos, profetas, mestres, evangelistas e pastores). Há quanto tempo ela existe? Creio que ela existe a milhares de anos (antes da fundação do mundo), mas temos a sua manifestação mais pálpavel, no tempo da igreja primitiva, quando eles se reuniam de casa em casa, e nos templos, tendo tudo em comum, depositando tudo aos pés dos apóstolos...

Essa Igreja existe hoje? Tem sido formada. E sabemos que nós não estamos mais segundo a Ordem de Levi, mas sim em Cristo, segundo a Ordem de Melquisedeque (Hebreus) Onde todos temos o chamado para sermos sacerdotes! Lembre-se do que Pedro disse: Nação Santa, Propriedade exclusiva do Senhor, Sacerdócio Real! Essa Igreja do último dia, não almeja simplesmente o nível da Igreja primitiva, pois o Senhor reservou mais para nós, a última geração!"

Faz 5 anos que escrevi isso, e ainda hj soa como contemporâneo.

Voltando a origem,
Iara Rodrigues
19 de julho de 2010 10:01


















Blogger Rosana disse...














É agora entendi, somos uma IGREJA VIVA, não um prédio.
20 de julho de 2010 19:03

























Blogger volte pra SIÃO disse...












Estou de volta a Origem. Estou de volta.
Estou de volta a Origem, pros braços do meu Pai....

Sim,foi Dele que saimos para a existência e Dele nos apartamos ao pecar. Desde então Ele tem nos "AFUNILADO" para Ele, Tem estreitado dia a dia nosso caminho até que não tenhamos como voltar mas só poderemos ir adiante até estarmos totalmente mergulhados Nele. Você não sente que a cada passo na direção Dele o vapor do fogo é mais quente, a vóz é mais audível e Ele é mais palpavel???

Paredes, pulpitos, cadeiras, nomes, titulos, cargos e posições não dão isto, não produzem isto. Mas a Igreja sim, vive, prova e libera isto.

A IGREJA É A VIDA DE DEUS MANIFESTA NA TERRA NÃO REFORMANDO MAS RESTAURANDO TODAS AS COISAS.
22 de julho de 2010 19:58

4 comentários:

Iara disse...

"Igreja! O Q é?
À luz da palavra, o que é a Igreja?

A Igreja é a união de todos os Santos, (ou protótipos de Santos) q existem na face da terra. E pela palavra, ainda não conseguimos, (nem queremos) nomeá-la, como por exemplo: Batista, Metodista, Menonita, Assembléia de Deus, e etc... (não cito esses nomes para envergonhar nenhum dos meus irmãos que se reúnem nesses lugares, pelo contrário...). Na bíblia não achamos nomeação para essa Noiva, os apóstolos se referem, á igreja que esta em Corinto (cidade), a igreja que esta em Tessalônica (cidade) então na palavra os irmãos que se reuniam, no templo e nas casas não tinham nomeação nem denominação!

Mas? Onde ela está? No mundo todo. Quantos membros tem? Milhões. Qual é o Ministério? Andam segundo os fundamentos dos apóstolos e profetas. Quem é o Pastor principal? O cabeça é Cristo, mas há muitos irmãos que auxiliam, como "líderes" do povo, dentro de seus ministérios (apóstolos, profetas, mestres, evangelistas e pastores). Há quanto tempo ela existe? Creio que ela existe a milhares de anos (antes da fundação do mundo), mas temos a sua manifestação mais pálpavel, no tempo da igreja primitiva, quando eles se reuniam de casa em casa, e nos templos, tendo tudo em comum, depositando tudo aos pés dos apóstolos...

Essa Igreja existe hoje? Tem sido formada. E sabemos que nós não estamos mais segundo a Ordem de Levi, mas sim em Cristo, segundo a Ordem de Melquisedeque (Hebreus) Onde todos temos o chamado para sermos sacerdotes! Lembre-se do que Pedro disse: Nação Santa, Propriedade exclusiva do Senhor, Sacerdócio Real! Essa Igreja do último dia, não almeja simplesmente o nível da Igreja primitiva, pois o Senhor reservou mais para nós, a última geração!"

Fazem 5 anos que escrevi isso, e ainda hj soa como contemporâneo.

Voltando a origem,
Iara Rodrigues

Iara disse...

"Igreja! O Q é?
À luz da palavra, o que é a Igreja?

A Igreja é a união de todos os Santos, (ou protótipos de Santos) q existem na face da terra. E pela palavra, ainda não conseguimos, (nem queremos) nomeá-la, como por exemplo: Batista, Metodista, Menonita, Assembléia de Deus, e etc... (não cito esses nomes para envergonhar nenhum dos meus irmãos que se reúnem nesses lugares, pelo contrário...). Na bíblia não achamos nomeação para essa Noiva, os apóstolos se referem, á igreja que esta em Corinto (cidade), a igreja que esta em Tessalônica (cidade) então na palavra os irmãos que se reuniam, no templo e nas casas não tinham nomeação nem denominação!

Mas? Onde ela está? No mundo todo. Quantos membros tem? Milhões. Qual é o Ministério? Andam segundo os fundamentos dos apóstolos e profetas. Quem é o Pastor principal? O cabeça é Cristo, mas há muitos irmãos que auxiliam, como "líderes" do povo, dentro de seus ministérios (apóstolos, profetas, mestres, evangelistas e pastores). Há quanto tempo ela existe? Creio que ela existe a milhares de anos (antes da fundação do mundo), mas temos a sua manifestação mais pálpavel, no tempo da igreja primitiva, quando eles se reuniam de casa em casa, e nos templos, tendo tudo em comum, depositando tudo aos pés dos apóstolos...

Essa Igreja existe hoje? Tem sido formada. E sabemos que nós não estamos mais segundo a Ordem de Levi, mas sim em Cristo, segundo a Ordem de Melquisedeque (Hebreus) Onde todos temos o chamado para sermos sacerdotes! Lembre-se do que Pedro disse: Nação Santa, Propriedade exclusiva do Senhor, Sacerdócio Real! Essa Igreja do último dia, não almeja simplesmente o nível da Igreja primitiva, pois o Senhor reservou mais para nós, a última geração!"

Fazem 5 anos que escrevi isso, e ainda hj soa como contemporâneo.

Voltando a origem,
Iara Rodrigues

Rosana disse...

É agora entendi, somos uma IGREJA VIVA, não um prédio.

volte pra SIÃO disse...

Estou de volta a Origem. Estou de volta.
Estou de volta a Origem, pros braços do meu Pai....

Sim,foi Dele que saimos para a existência e Dele nos apartamos ao pecar. Desde então Ele tem nos "AFUNILADO" para Ele, Tem estreitado dia a dia nosso caminho até que não tenhamos como voltar mas só poderemos ir adiante até estarmos totalmente mergulhados Nele. Você não sente que a cada passo na direção Dele o vapor do fogo é mais quente, a vóz é mais audível e Ele é mais palpavel???

Paredes, pulpitos, cadeiras, nomes, titulos, cargos e posições não dão isto, não produzem isto. Mas a Igreja sim, vive, prova e libera isto.

A IGREJA É A VIDA DE DEUS MANIFESTA NA TERRA NÃO REFORMANDO MAS RESTAURANDO TODAS AS COISAS.