sábado, 2 de janeiro de 2010

Não temas número 2

E ouviu Deus a voz do menino, e bradou o anjo de Deus a Agar desde os céus, e disse-lhe: Que tens, Agar? Não temas, porque Deus ouviu a voz do menino desde o lugar onde está. Gênesis 21:17

Precisamos, hoje, refletir sobre algo que, certamente, não nos vem à mente no nosso dia-a-dia. O motivo é que, habitualmente, reduzimos Deus àquilo que conhecemos ou (pior ainda) achamos que conhecemos acerca dEle. E costumamos prever as reações de Deus e até mesmo O julgamos quando reage de forma diferente daquela que esperávamos.

É assim com os que se dizem ateus, quando apontam para os desastres naturais e ficam dizendo que "se existisse Deus, isso ou aquilo não teria acontecido". Acontece com os que se dizem crentes, também, quando cobram a Deus porque perderam o emprego, porque não alcançaram determinada bênção pela qual fizeram votos, promessas, campanhas, jejuns... ou porque morreu alguém... ou porque, porque, porque...É assim, quase sempre.

Mas não deve ser assim com aqueles que temem ao Senhor e O reconhecem como Deus. Aliás, o Único Deus, que detém todo poder... Não deve ser assim com os Seus filhos, sonhados, escolhidos, amados, chamados, resgatados, santificados, reunidos em Jesus, para Lhe dar prazer. Os filhos de Deus devem reconhecer quem é Seu Pai, embora não saibamos tudo sobre Ele (e, talvez, nunca venhamos a saber "completamente tudo"). Mas, sabemos que Ele é Deus. DEUS. E, como DEUS, pode todas as coisas, até mesmo aquelas que consideramos que Ele não deveria poder.

Deus disse a Jó: Quem é este que escurece o conselho com palavras sem conhecimento? Porventura, o contender contra o Todo-Poderoso é sabedoria? (Jó 38:2.40:2). No meio disso, Ele expôs ações Suas desde a fundação do mundo e perguntou a Jó se Ele sequer tinha conhecimento ou podia explicar aquelas coisas. Leia os capítulos 38-40 de Jó e, certamente, terminará da mesma forma que ele colocando a mão sobre a boca e reconhecendo que, quando julgamos ao Senhor e O "encaixotamos" naquilo que pensamos dEle (como se fôssemos donos de toda sabedoria), estamos procedendo loucamente e precisamos nos arrepender e aprender a respeitá-lO.

O Deus a quem servimos e de quem somos disse a Agar, a serva-concubina de Abraão, que lhe gerara um filho que não era o filho da promessa, por causa de uma precipitação e um conselho inadequado de Sara, o qual foi ouvido por Abraão; sim, o Senhor disse a esta Agar, que nós mesmos desprezaríamos:

Não temas, porque Deus ouviu a voz do menino.

O menino em questão é Ismael, filho bastardo de Abraão. Refletiremos sobre esta situação, depois. Agora, precisamos perceber que Deus se importou com a serva-concubina, desprezada por sua senhora e por seu "amante", e isso fica claro desde quando ela concebeu Ismael e estava chorando no deserto (Gênesis 13:1-13). Agora, precisamos entender que Deus ouviu a voz do menino deixado ali para morrer de sede e os socorreu e cumpriu em sua vida as promessas que havia feito.

Entenda: Deus, sem deixar de ser Deus e sem deixar de ser Santo e Justo, pode ter ações e reações diferentes daquelas que nós pré-concebemos e nisto, com certeza, estará manifestando AMOR e zelando para que seu plano imutável continue a se cumprir, como vem acontecendo desde antes da fundação do mundo... E continuará a ser DEUS.

É isto motivo de espanto ou de medo para nós, os Seus filhos? Penso que não, mas de profunda admiração e alegria, pois afinal, Deus não está reduzido aos conceitos humanos e, quando achamos que já conhecemos tudo ao Seu respeito, Ele sempre nos surpreende. Os insensatos, questionam Sua sabedoria. Os loucos por Ele, apaixonam-Se ainda mais e O adoram, sejam quais forem Sua ações, decisões ou silêncios...

Tudo o que o Pai quis que soubéssemos sobre Ele, revelou-nos em Jesus. Nós é que, muitas vezes, interpetamos, julgamos e delimitamos equivocadamente. Estejamos abertos para caminhar com o Deus que se importa com a escrava (pecadora), que ouve o menino (fruto de pecado) e age a favor deles, dando-lhes, também, o seu "Não temas!". Jesus viveu assim, afinal!

Graças a Deus por isso, porque, se não fosse assim, teria o Espírito de Deus vindo ao meu encontro e me transformado em filha de Deus, eu, pecadora e fruto do pecado e destituída da Glória de Deus, como todos os homens?

Obrigada, Pai, por se importar comigo e ouvir a minha voz impura, por tua Graça, por Teu Amor! Surpreenda-nos, mais, Papai, em cada dia de 2010!

Jackeline Sarah
02/01/2010

Nenhum comentário: