sexta-feira, 30 de outubro de 2009

JANTANDO NA RUA





















Muitas vezes, quando ajudamos alguém, nosso alvo principal é fazer crescer o número de membros da instituição a que pertencemos. Se pudermos nos despir desta forma de pensar e apenas amar e corresponder com o que o Espírito Santo quer fazer, aí, sim, o Evangelho será vida em nós e poderemos pregá-lo com autoridade a toda criatura, até mesmo sem falar. Porque nossas ações de amor falarão por nós. 

Lembrei-me, ontem, de que já fizemos quatro tipos de ação de amor: arrecadação de alimentos e roupas para os desabrigados pelas enchentes; presentes para 52 crianças carentes, no Jardim Zara e arredores; ministrações de artes na Praça e na Rua (Missão Messe); refeições para moradores de rua (Jantando na rua). Todas elas são muito tocantes e edificantes para nós.  É muito bom ouvir ao Senhor quanto ao que fazer e podermos ser usados por Ele como resposta às nossas próprias orações. 

Num momento mais tocante que todos, para mim, estivemos, ontem (28/10/09), por três horas e meia, a partir das 22:30 h, distribuindo 45 refeições para moradores de rua de Ribeirão Preto. Há uma estimativa não oficial de que haja entre 100 e 150 moradores de rua na cidade. Quarenta e cinco refeições é um número pequeno, mas para nós foi um grande passo.

Temos refletido sobre sermos a resposta para aquilo pelo que oramos ao Pai, sempre que Ele nos pedir. E, neste caso, o Espírito Santo nos ajudou a corresponder e a responder. Além da ajuda do Senhor, tivemos auxílio de toda nossa equipe, dos intercessores do CCO, da mãe do Rodrigo, da minha mãe e da minha irmã, do pai do Cotoxão. Preparamos um cardápio simples: arroz, feijão, molho de salsicha, seleta de legumes, farofa e suco de laranja. Mas teve valor de banquete para eles e para nós.

Eles: na maioria, homens, adultos; duas ou três mulheres, adultas; um rapaz de outra cidade que, no dia seguinte, pretendia voltar para lá, após dois meses nas ruas de Ribeirão; uma mulher grávida de quatro meses, sem coragem de fazer pré-natal, por medo de perder o filho ao nascer; mãe e filho de outra cidade, sem ter onde passar a noite, esperando amanhecer para visitar o marido/pai, internado no HC; alguns bêbados, alguns usuários confessos de drogas, alguns dormindo tão pesado que pareciam estar desmaiados; um trabalhador braçal, que estava sem comer  e trabalhando; um artesão andarilho; um dono de lindos cães e, o que mais me entristeceu, um menino de onze anos, que mora na rua mesmo tendo família na cidade...

Nós: alguns poucos filhos de Deus que não tem mais conseguido dormir sossegados, enquanto pelo menos uma centena de pessoas amadas por Deus e a quem devemos amar, passam frio e fome nas ruas; sem recursos, na maioria das vezes; com muita vontade de amar como Jesus amou, todo dia.

Eles: nem sempre querem ajuda para sair da rua, nem mesmo o menino de onze anos quer voltar pra casa... mas precisam comer. Havia quem estivesse sem comer há três dias e, para quem pensa que só há aproveitadores entre eles, houve quem recusasse a refeição, por já ter comido naquele dia e saber que havia outros que não tinham feito nenhuma refeição. São homens e mulheres, como nós, empurrados pelas circunstâncias da vida a se lançar nesta forma de existir sem regras e cobranças. Sem mencionar o mundo espiritual.

Nós: nem sempre poderemos ajudá-los a reconquistarem suas próprias vidas, perdidas por tantos motivos, que nem nos cabe contar aqui. Mas sempre poderemos amá-los como Jesus nos amou, orando por eles e nos dispondo a sermos RESPOSTA do Amor de Deus para eles.  

E o mais importante: penso que assim poderemos mostrar JESUS a eles, em nós mesmos. Eles sabem sobre Deus e, muitos, conhecem a Bíblia até de trás para frente. Mas, certamente, desconhecem o amor dos filhos de Deus, como um todo. Porque os filhos de Deus ainda não se manifestaram para demonstrar o amor de Deus ao mundo.

Já que o "ide" é, na verdade, INDO, que possamos, enquanto vamos, abraçar aqueles que sofrem ao nosso lado, perder o sono por eles, não apenas parar orar, mas também, para agir com amor!

Ah... não vamos parar! Se Você quer nos ajudar a AMAR, deixe um comentário, mande um -email ou telefone para o Juninho ou Rodrigo: (16) 3621.8572.

Toda honra e toda Glória sejam dadas ao Cordeiro, digno de receber a recompensa em nós!

Jackeline Sarah
serva inútil, que mal começou a cumprir sua obrigação...
29/10/09

Nenhum comentário: