sábado, 7 de fevereiro de 2009

DEUS E A RELIGIÃO

Para conhecer a Deus, olhemos para Jesus. Quem vê a Ele vê ao Pai (Jo 14:9). Jesus é a expressa imagem de Deus (Hb 1:3).

Olhando para Jesus, noto algumas curiosidades. Em seu tempo, existia o Judaísmo, uma religião que agia em nome de Deus e falava sobre Deus. E notamos nos evangelhos, repetidamente, Jesus, aquele que é a imagem de Deus, entrando em conflito com os religiosos, os tais “embaixadores de Deus”. Primeiro, o fato de Jesus perdoar pecados, depois acerca do jejum, outra de curar no sábado, ainda quando afirmou ter visto fé em um romano idólatra e, como se não bastasse, suas parábolas com diversas indiretas aos fariseus.

Agora, muito estranho, não é? Eles não estavam falando do mesmo Deus? A religião agia em nome do Deus que era Pai de Jesus. O que, teoricamente, seria uma perfeita harmonia, não foi. Será que hoje é diferente? Jesus é a expressa imagem do Pai! Será que hoje o Pai tem parte com nossas religiões? Será que o Cristianismo é diferente do Judaísmo do tempo de Jesus? O Cristianismo age em nome de Deus e fala sobre Deus, porém, Jesus tem parte nisso?

Jesus, Aquele que pregou e viveu o amor, repreendeu Pedro ao lançar a espada sobre a orelha de Malco, tem parte nas cruzadas exercida pela religião na idade média? Ele tem parte com o derramamento de sangue ocorrido nos períodos da reforma e contra-reforma? Aquele que foi traído por um avarento, tem parte com o Cristianismo capitalista do Clero na idade média e do período neo-pentecostal atual? Realmente, Jesus não tinha parte com a religião. Não se encaixavam, percorriam caminhos contrários.

A maior causa do ateísmo no mundo é a religião. A Bíblia diz que quem vê Jesus vê ao Pai. Porém, o mundo tem visto a religião e achado que tem visto Deus. E o que eles pensam? “Se a religião é assim, Deus não existe!”. Uma pena, já que Deus nada tem com a religião. Olhemos para Jesus, Ele é Deus e não a religião. A nossa amostra de Deus é o Filho e não o sistema humano religioso. A única coisa que a religião nos mostra é o caráter perverso, corrupto, avarento e iníquo do homem.

De fato, Deus não tem parte com nossas religiões, com nossas estruturas religiosas, sistemas eclesiásticos. Isso não tem parte com Ele! Sim, Deus tem parte com os religiosos, por causa de sua imensa graça e misericórdia. Tem parte com os religiosos, da mesma maneira que tem com prostitutas e mendigos. Ele esteve com Nicodemos, o fariseu, pertencente à mesma cúpula que mandou matar Jesus. Este fariseu se relacionou com Jesus, sabia que Ele é a verdade, sabia que Ele não tem nada a ver com a religião, mas preferiu não confessar sua fé e continuar vivendo sua religião, porque isso lhe trazia status, segurança e poder (Jo 3:1-16). Será que temos sido este tipo de pessoa? Sabemos que Jesus não tem nada a ver com a religião – e quando escrevo nada a ver é exatamente isso, não tem semelhança alguma! -, sabe que Jesus é a verdade, mas prefere continuar vivendo uma religião para ter status, para não ouvir seu nome mal falado na mesa do conselho dos pastores da cidade?

Jesus não tem parte com o Cristianismo, assim como não teve com o Judaísmo! Sim, entendo que os judeus são o povo eleito de Deus desde o princípio, e até a nova aliança, a aliança da lei dos judeus era benção, porém o Judaísmo é uma religião de homens e como toda religião, não presta (existe uma diferença entre ser judeu e fazer parte do judaísmo). O Cristianismo é a mesma coisa! Eu entendo o estilo de vida cristão, isso não é religião e tem a ver com Jesus, sim, porém o Cristianismo nada tem a ver com o estilo de vida de um cristão (imitador de Cristo).

Já escrevi sobre isso e não hesito em falar que nosso Cristianismo mataria Jesus, se Ele viesse em nossos tempos. Iríamos nos escandalizar com Ele indo às baladas, sentando-se nas mesas de drogados e bêbados, em um ambiente com “música do mundo”. Não aceitaríamos que Ele derrubasse nossas caixas que guardam os pacotes de dízimos e ofertas escritos “Benção de prosperidade”, “Casa nova”, “Bilhete premiado da vitória!”. Acharíamos o cúmulo Ele dizer que um idólatra, seja de qual das religiões, tenha mais fé que os “evangélicos”. O copo iria transbordar quando ouvíssemos Ele dizer que o Pai irá tirar a vinha das nossas mãos e entregar aos pequeninos que deem o fruto para o Rei da vinha! O Cristianismo não iria pendurá-lO numa cruz, mas iria colocá-lO em uma cadeira elétrica.

Você já pensou estar servindo e seguindo uma religião que fala sobre Jesus, mas que não tem nada a ver com Ele? Isso é meio assustador! Aquilo que até hoje achei que era verdade, não é! Jesus é a verdade e não a religião.

Existem alguns tipos de pessoas. Aqueles que acham que Deus tem parte com a religião. Outros que sabem que Deus não tem parte com a religião, por isso seguem a Deus sem religião. Ainda, os que sabem que Deus não tem parte com a religião, mas seguem a Deus com religião.

A situação do terceiro é melhor que a do primeiro. Porém, o perigo está no fermento. Como assim? Jesus alertou os discípulos, quando esteve andando na Terra, para que tomassem cuidado com o fermento dos religiosos. Fermento é algo sutil que, imperceptivelmente, leveda toda a massa. Assim é o que sai da boca dos religiosos. É sutil, muitas vezes parecem verdades, mas não são e a consequência disso é que toda massa está contaminada pelas mentiras religiosas.

O convite não é para você sair do sistema religioso, mas para que o sistema religioso saia de Você. E aqueles que continuam dando ouvidos a religiosos, tomem cuidado com o fermento deles, que contamina sutilmente.

Algo me diz, não sei se é verdade, que Deus vai fazer muitas coisas notáveis e visíveis nesse tempo. Porém, a verdade é que a religião não terá parte no que Deus vai fazer; assim como a religião não teve parte com Seu Filho há dois mil anos atrás, não terá agora.

Portanto, revistam-se de Cristo e tirem suas vestes de religiosidade! Tomem cuidados com o fermento dos religiosos: eles estão por todos os lados! 

Pedrinho Medeiros
Presidente Prudente

Nenhum comentário: