sexta-feira, 6 de março de 2009

SOMENTE DEUS PODE CONSAGRAR


Eles instituíram reis sem o meu consentimento; escolheram lideres sem a minha aprovação. 

(Oséias 8:4)

“Eu é que sei os planos e sonhos que tenho pra vocês, Eu é que tenho os pensamentos corretos a seu respeito. Planos e pensamentos para lhe fazer bem e não lhe fazer mal”. 

(Jeremias 29:11)

Amo este versículo, pois mostra a responsabilidade de Deus. Ele não criou o Homem porque não tinha o que fazer ou o criou e mandou que o Homem se virasse. Não, Ele fez o Homem com propósitos para Ele e para o Homem. Ele é um Deus responsável.

 O versículo acima fala de planos e pensamentos de Deus mostrando que Ele nos criou com um plano definido. Normalmente, chamamos isto de "a vontade de Deus pra nós" ou "os sonhos de Deus". 

  • Abrão sonhava com um filho, mas sua esposa não podia dar-lhe este filho, pois era estéril. Deus, então, fala com ele e lhe promete um filho. Mas, o tempo foi passando e o homem se rende à pressa e decide ajudar a Deus “mostrando serviço”. Foi dormir com a empregada e ela lhe deu um filho. Mas este não era o filho da promessa. O tempo passa, Sara engravida e nasce, então, o sonho de Deus. 
  • Isaque se casou com Rebeca e, quando ela ficou grávida, descobriu que eram gêmeos. Como os bebês “se empurravam” dentro dela, isto a deixou preocupada e foi falar com Deus. Recebeu, então, uma palavra de Deus a respeito de seus filhos: seriam duas nações...e o maior serviria ao menor (Gn 25:23). O primogênito Esaú não era o escolhido de Deus, mas seu irmão mais novo, Jacó, e este passou por um duro tratamento para alcançar a promessa de Deus. 
  • Jacó prosperou muito, teve 12 filhos e,  mais uma vez o sonho de Deus é o inesperado. O mais novo (e não o mais velho) é escolhido para o propósito de Deus. 
  • José teve sonhos de Deus e viveu aqueles sonhos intensamente; mas, não foi fácil chegar à conclusão destes sonhos. Foi preciso viver longe de casa, da proteção de seu pai, do comodismo. Foi preciso aprender a caminhar num caminho estranho e estreito, teve que aprender a morar num buraco, na cadeia e, só depois, pode ver o sonho de Deus realizado.

Conforme a Bíblia diz: Deus não muda. E, hoje, Ele continua “confundindo os sábios com coisas loucas, pegando quem não sabe nada e dando-lhe sabedoria” (1Co 1:18-31), usando quem ninguém espera para realizar Seus propósitos. Mas, não sem tratamento, não sem provar e aprovar estas pessoas (2Tm 2:15), não sem fazê-las passar por Seu fogo purificador (Zc 13:9).

 

O discipulado bíblico, onde o discipulador tem sua autoridade reconhecida pelo discípulo e não imposta sobre o discípulo; onde o discipulador é mais que um líder, um amigo que pode ser chamado pelo nome e não pelo título; onde o discípulo abre o coração, é corretamente tratado e disciplinado e levado a ter intimidade com o Pai e a entender seu sacerdócio em Deus; ainda é a maneira que Deus usa para levar Seus filhos a serem quem Deus planejou para eles. 

Como lideres chamados por Deus, não podemos fazer Sua obra como pensamos que deve ser, não podemos ter eternos seguidores, mas devemos fazer destes discípulos de Jesus e liberá-los naquilo que o Senhor quer pra eles. 

Liderar é levar os discípulos a descobrirem o propósito de Deus pra vida deles, liberá-los e EMANCIPÁ-LOS. 

Quando vivemos os sonhos de Deus, nunca impediremos os sonhos de Deus na vida dos nossos irmãos. Mas quando não vivemos isto, então, vivemos nossos próprios sonhos e, por melhores que possam ser, teremos frustrações. Um sentimento de insatisfação, desgosto e vazio vai estar conosco quando concluirmos “nossa obra”. O ativismo toma conta sem que se possa perceber. Isto nos leva a tomar decisões às pressas e a fazer escolhas sem levar Jeremias 29:11 em consideração.   

Eles instituíram reis sem o meu consentimento; escolheram lideres sem a minha aprovação. 

(Oséias 8:4)

Colocar uma pessoa numa posição de liderança sem que Deus tenha falado é um dos sintomas da apostasia que a igreja vive, hoje. Por mais íntegra que a pessoa possa ser, isto pode trazer sérios problemas, tanto para o ministério do líder desta pessoa, como para a denominação onde ela está congregando e, principalmente, para a própria pessoa. A ansiedade por crescimento leva a aumentar os departamentos na igreja e isto leva os lideres a procurarem pessoas para ocupar estes espaços criados. Cada pessoa tem sua identidade em Deus, cada um tem um chamado importante a desempenhar,  dado por Deus e para Deus. É necessário que os responsáveis pelas ovelhas de Jesus as conduzam para aquilo que cada uma delas foi chamada por Deus para ser e não as sobrecarreguem com seus próprios planos. 

Esta é uma das causas de pessoas insatisfeitas dentro das denominações. As envolvidas,  direta e indiretamente, estão envolvidas nos planos e projetos de alguém e não nos planos de Deus para suas vidas. Por melhores que possam ser as motivações e os planos do líder, se não estiver agindo segundo os planos de Deus para sua vida, com certeza, nesse caminho ele vai se encontrar com a frustração, stress, sobrecarga, abandono. 

Assim como em Babel, quando não é o Reino de Deus que está sendo edificado, a confusão e o abandono prevalecem. 

Davi quis trazer a arca para seu devido lugar. Eu acredito que era vontade de Deus que isso acontecesse, mas houve um problema sério aqui. A motivação de Davi era boa, mas o principio não. Isto nunca da certo! Davi colocou a arca num carro novo puxado por bois. Tenho certeza que ele mandou “separar” o melhor dos carros e os melhores (mais bonitos) dos bois. Mas o que Deus havia mandado “separar” para carregar a arca eram os sacerdotes. Por muito tempo, a Igreja tem atropelado um principio de Deus. O principio é que somente Deus consagra o Homem e não o Homem quem consagra o homem. Separar significa “consagrar” e cada consagração é confirmada com unção. A unção é a testificação de Deus de que tal pessoa já“é” e não de que "vai ser”

Lembro-me de ter presenciado a ordenação de um irmão para o ministério pastoral. O líder que veio para ungi-lo disse algo que foi marcante para mim:

Quando Deus manda ungir alguém, significa que esta pessoa já é e não que vai ser”.

Então, lembrei-me de que aquele irmão, realmente, já exercia seu ministério antes que os Homens o chamassem de pastor. Antes que o reconhecessem como pastor, ele já pastoreava!. DEUS o havia separado e não o Homem... Isaque e não Ismael, Jacó e não Esaú, José entre seus irmãos, Davi entre seus irmãos, Paulo e não Matias, Saulo e Barnabé, só pra citar alguns exemplos, nos ensinam que é Deus quem escolhe e consagra; o Homem apenas executa a ordem segundo a vontade de Deus. 

Sempre que um Homem consagrou a outro, sem que Deus o tivesse escolhido, o resultado final foi divisão, discórdia, feridas, ciúmes, desconfiança, boicotes, morte física e espiritual.  

“Toda autoridade é constituída por Deus”.

Há, ainda, um grande engano sendo cometido. Precisamos compreender Romanos 13:1 que diz: Todo devem sujeitar-se às autoridades governamentais, pois não há autoridade que não venha de Deus; as autoridades que existem foram por Ele estabelecidas”. NVI

Este versículo tem sido usado por muitos lideres para respaldar suas escolhas, quando consagram ou querem consagrar alguém. Mas o que Paulo está dizendo, em Romanos,  não tem nada a ver com autoridade dentro da igreja, mas, sim, autoridade “civil”, política.

Durante a primeira geração depois da morte de Cristo, a autoridade romana reconheceu o cristianismo como parte do judaísmo que tinha privilégios excepcionais como religio lícita, decretados pelo próprio império. Falando neste contexto, Paulo expressa o principio básico das relações do cristão com o Estado, que é submissão às autoridades, porque são instituídas por Deus. O governo humano, portanto, é estabelecido por ordenança divina e os cristãos acima de todos, devem obedecer às leis, pagar impostos, e respeitar as autoridades. E se essa autoridade for injusta e contraria a consciência cristã? Este problema não é tratado aqui, mas a resposta é clara: “antes importa obedecer a Deus do que aos homens” (At 5:29). Bíblia Shedd.

O capitulo treze de Romanos trata dos deveres políticos e não religiosos. Se Deus é quem institui no Estado, também institui em Sua Igreja. Quem dá autoridade é Jesus e não os Homens. Quando Ele diz “...eis que vos dou autoridade”, Ele está dizendo isto àqueles que Ele escolheu para ser autoridade. Autoridade esta que receberam após uma vida de tratamento, provação e aprovação. 

Hoje, damos um cargo ou uma posição para uma pessoa íntegra e pensamos que ela tem autoridade. Na verdade, ela tem posição e isto lhe dá poder de mandar e não autoridade para liderar. 

Autoridade vem de caráter tratado e coerente. 

Por isso, é Deus quem consagra, quem escolhe pessoas para serem autoridade em Sua Igreja. O Homem deve ouvir a Deus e consagrar o que o DONO DA IGREJA ESCOLHEU.

Davi extrapolou aqui, quando escolheu um carro (um tipo de carroça) e separou animais para aquele serviço. O resultado foi que descobriram que Deus não estava com eles. Uzá morreu fulminado. E porque logo Uzá foi tocar na arca? Deus não nos deixa sem resposta. Uzá significa “braço ou força do homem" ou "força da carne”. Depois de questionar a Deus, Davi caiu na real e enxergou sua obstinação. Havia ficado tão empolgado e (quem sabe?) querendo mostrar serviço, que ignorou os princípios de Deus!

Desobedeceu e toda desobediência traz consequências amargas. Isto trouxe não apenas exposição do pecado do líder, mas, também, desestrutura para a família de Uzá. Esta é,  também, uma triste realidade que a Igreja está vivendo. Trazer a arca deixou de ser um plano de Deus e tornou-se o projeto pessoal de Davi e, dentro de seus planos, sua visão se ampliou. Visualizou a arca de Deus entrando em Jerusalém de um modo digno, “à sua altura”. Davi se esqueceu, por um momento, que o carro que traz a Graça e a benção de Deus chama-se obediência. 

Depois de se arrepender, Davi colocou as coisas em seu devido lugar: obediência e dependência aos princípios de Deus.

Assim, o plano de Deus foi cumprido e não o de Davi. 

Davi sai de cena e Deus é glorificado!

Hoje, muitos homens e mulheres de Deus estão sofrendo, sem entender o porquê de algumas tragédias, vergonhas, abandonos, sonhos e projetos começados, mas não concluídos. É preciso fazer um auto-exame. Pode ser que os sonhos que se está perseguindo não sejam os de Deus. Quem sabe se, como líder, não está consagrando alguém que Deus não consagrou? Será que em nosso ministério “o carro e os bois” estão no lugar dos princípios de Deus?

Estar no centro da vontade de Deus, fazer as coisas de Deus pra Deus, do jeito de Deus não vai impedir as dificuldades, mas, com certeza, chegaremos à conclusão dos sonhos de Deus. Já a desobediência vai nos impedir... 

Viva seu destino em Deus e deixe que outras pessoas façam o mesmo!

Aos amados do Pai,

Rogério Lima 
rogerio_rosiane@compromissokandeya.com
Postado neste blog em 05/03/09.

Nenhum comentário: