quinta-feira, 29 de janeiro de 2009

O ORÁCULO QUE O PROFETA VIU

Habacuque viveu cinco séculos antes de Cristo, em Judá, numa época que, por pouco, antecede ao grande silêncio de Deus, até João Batista. Parece-me que, já naquela época, ainda que houvessem profetas, Deus estava "quieto", deixando a iniqüidade do povo crescer...

Habacuque parece ter sentido assim. As informações que temos sobre ele não são muitas e, quando há, são contraditórias. Parece que era um profeta-cantor, talvez da tribo de Levi. Sem dúvida, era sensível e vivia em intimidade com Deus. Haja visto que lança a Deus um "até quando?" e não recebe uma resposta dura, como a que está registrada em Sf 1:12. É que, quando somos íntimos, podemos dizer certas coisas que outros não poderiam, porque Aquele que nos ouve, conhece bem a verdade do nosso coração, assim como sabe que queremos conhecer bem à dEle...

É assim que o profeta, olhando para a situação do seu povo, clama a Deus, perguntando-Lhe até quando prevalecerão a iniqüidade, a violência, a opressão, a destruição, a contenda, o litígio, a frouxidão da lei, a distorção da justiça... e, tudo isso, entre o povo de Deus...

O livro começa com a frase "ORÁCULO QUE O PROFETA VIU". Oráculo, aqui, pode ser traduzido como PESO. O que o profeta, primeiro, vê de Deus, em resposta à sua queixa, é um peso em seus ombros, porque Deus, após parecer estar em silêncio com relação a tanta injustiça, não responde com uma mensagem agradável e suave, mas com palavras que traduzem JUÍZO, palavras apocalípticas.

Se o silêncio de Deus parecia um problema para o sensível profeta, a resposta não foi mais alentadora: Deus executaria JUÍZO através dos caldeus. Acontece que os caldeus eram ainda piores que os de Judá! O que estava mal, ficaria pior, o que leva o profeta a perguntar:

"Não és Tu desde a eternidade, ó SENHOR meu Deus, meu Santo? Nós não morreremos. Ó SENHOR, para juízo o puseste, e Tu, ó Rocha, o fundaste para castigar. Tu és tão puro de olhos, que não podes ver o mal, e a opressão não podes contemplar. Por que olhas para os que procedem aleivosamente e Te calas quando o ímpio (os caldeus) devora aquele que é mais justo do que ele (os judeus)? E por que farias os homens como os peixes do mar, como os répteis, que não têm quem os governe?" (Habacuque 1:12-14; Os grifos são meus.)

O profeta, então, assume sua posição de atalaia e diz que ficará sobre a guarda e a fortaleza, até que veja a resposta de Deus e aquilo que Ele mesmo responderia a Deus, quando fosse argüido... E é claro que Deus responde a Habacuque e, ainda, pede ao profeta que escreva a visão como se fosse em um Out Door bem escrito: para que até quem passasse correndo, pudesse ler.

Mas, por que tanto cuidado de Deus em querer que o que diria fosse estampado em letras garrafais nas rodovias? É que a Habacuque o Senhor revelou uma pérola de imensurável valor: a justificação pela fé. Sim! O Senhor disse ao profeta que, embora nem os judeus nem os caldeus fossem retos,

O JUSTO VIVERÁ DA FÉ.

Que tremendo oráculo viu o profeta! Posso imaginá-lo, vendo o out door com estas palavras grafadas em vermelho, com letras garrafais: O JUSTO VIVERÁ DA FÉ! Paulo, o apóstolo, mais de cinco séculos depois, viria a embasar os seus ensinamentos nesta verdade revelada a Habacuque, um profeta que chamamos de menor e sobre o qual muito pouco chegamos a saber!

Que bom que Deus Se revela aos pequeninos!

O Senhor tranqüilizou o profeta, mostrando-lhe que vingaria, também, o que os caldeus fizessem aos judeus, em seu excesso de zelo por destruí-los. Mas, havia algo maior em que o profeta podia descansar: Deus é Soberano e quis que o justo vivesse pela fé. Sim, Habacuque entende que, embora não consigamos, muitas vezes, compreender o porquê de Deus agir desta ou daquela maneira, DEUS É DEUS. E É SOBERANO. Diante dEle, nenhum outro deus há.

O SENHOR ESTÁ NO SEU SANTO TEMPLO. CALE-SE TODA A TERRA DIANTE DELE!
Meu coração se prostra diante desta constatação. E assim foi, também, com Habacuque. Agora, que Deus já havia lhe respondido, o profeta passa a fazer uma das mais belas orações registradas no Antigo Testamento, onde expressa sua adoração:

Ouvi, Senhor, a Tua Palavra e temi. Aviva, ó, Senhor, a Tua obra, no meio dos anos; no meio dos anos, faze-a conhecida; na Tua ira, lembra-Te da misericórdia.


E, prostrado diante do Deus Soberano, cuja Glória o profeta viu encher toda a Terra, ainda que a situação não houvesse mudado e que Deus mesmo houvesse colocado a perspectiva de solução para um tempo distante; ainda assim, diante da revelação da Soberania e da Misericórdia de Deus, pôde o profeta concluir sua bela oração, expressando fortemente sua fé:

Ainda que figueira não floresça, nem haja fruto na vide; ainda que decepcione o produto da oliveira e os campos não produzam mantimento; ainda que as ovelhas da malhada sejam arrebatadas e nos currais não haja gado; todavia, eu me alegrarei no Senhor e exultarei no Deus da minha salvação!

Habacuque enxergou algo mais do que a situação que via antes e pôde esticar seu olhar para além do "até quando?" que lançara a Deus. A sociedade e a história seguirão seu curso, com suas iniqüidades e violências, suas tragédias e distorções da justiça, seu desespero e seu caos... Os profetas ainda sofrerão e farão ecoar seus ais... E Deus, que é Soberano, sabe tudo isso e tem feito Seu plano imutável se desenrolar e, apesar dos "ainda que", podemos crer, confiar e, nEle, nos alegrar e exultar! Ele é o Deus que salva o justo pela fé!!!

O oráculo que o profeta viu, se, de início foi peso sobre seus ombros, com a linda revelação de Deus em out door, veio trazer-lhe força (no Senhor, que é Soberano), resistência (como os pés da corsa, que, na fuga do inimigo, correm até o rio, sem desistir) e novo posicionamento (ele pôde entender o que, também, entenderam Ananias, Misael, Azarias, Daniel, Paulo, Rogério e tantos outros... que nossa realidade está nos lugares altos e não aqui, pois nossa vida está escondida com Cristo, em Deus...).

Habacuque quer dizer abraço e, para mim, desvendar sua experiência foi mesmo um abraço: abraço de fé, abraço de confiança, abraço de perseverança, abraço de paciência, por apreender que Deus fará Sua vontade acontecer no meio dos anos, ainda que meus olhos físicos não possam perceber...

Jackeline Sarah
jackelinesarah@compromissokandeya.com
Postado, originalmente, em 28/01/09

Nenhum comentário: