sexta-feira, 23 de janeiro de 2009

BENDITO É O REI QUE VEM!

A 7ª. Adoração 24 horas (11-12/10/2006), teve como tema “Bendito é Aquele que vem!”, referindo-se ao Senhor Jesus, como Aquele que vem para sarar nossa terra. Durante os turnos de adoração, uma ministração que voltava com freqüência era a afirmação de que

RECONHECEMOS AO SENHOR JESUS! RECONHECEMOS O SENHOR!

E a cada ministração reconhecíamos ao Senhor como O Prometido, O Filho De Deus Enviado
Para Salvar, A Raiz De Davi, O Filho De Davi, O Único Em Que Há Salvação E O Único Digno De Receber Nossa Vida De Adoração, A Estrela Da Manhã, Alfa E Ômega, Princípio E Fim, Santo De
Israel, A Testemunha Fiel...

Antes do término do período de adoração ininterrupta, que chamamos de “começamento”,
houve a revelação do motivo daquele retorno da ministração que, ora reconhecia ao Senhor como o Amém a tudo o que o Pai prometeu, ora reconhecia o próprio Senhor, presente, vivo, atuante
em nossas vidas e Amado. Na passagem abaixo, temos a origem da expressão "Bendito é Aquele que vem”:

“Quando Jesus e os discípulos estavam chegando a Jerusalém, pararam no povoado de Betfagé, que fica perto do monte das Oliveiras. Dali Jesus enviou dois discípulos na frente, com a seguinte
ordem: -Vão até o povoado que fica ali adiante e, logo que vocês entrarem lá, encontrarão uma jumenta presa e um jumentinho com ela. Desamarrem os dois e os tragam aqui. Se alguém falar alguma coisa, digam que o Mestre precisa deles. Assim, deixarão vocês trazerem logo os animais. Isso aconteceu para se cumprir o que o profeta tinha dito: "Digam ao povo de Jerusalém: Agora o seu rei está chegando. Ele é humilde e está montado num jumento e num jumentinho, filho
de jumenta." Então, os discípulos foram e fizeram o que Jesus havia mandado. Levaram a jumenta e o jumentinho, jogaram as suas capas sobre eles e Jesus montou. Da grande multidão que ia com eles, alguns estendiam as suas capas no chão e outros espalhavam no chão ramos que tinham cortado das árvores. Tanto os que iam na frente como os que vinham atrás começaram a gritar: -Louvado seja o Filho de Davi! Que Deus abençoe aquele que vem em nome do
Senhor! Louvado seja Deus nas alturas! Quando Jesus entrou em Jerusalém,
toda a cidade ficou agitada, e o povo perguntava: -Quem é Ele?”
(Mateus 21:1-10 BLH)

Naquele momento em que Jesus, montado no jumentinho, foi aclamado pela multidão como Rei, o Seu povo, os judeus, aqueles para os quais Ele veio, com suas autoridades eclesiásticas, reunia-se nas suas sinagogas, no Templo, em Jerusalém, na expectativa de que, um dia, Javeh enviaria um salvador, que fosse forte politicamente e poderoso na guerra, para libertá-los do domínio físico, político e econômico dos romanos. Ao mesmo tempo, lá fora, nas ruas, o
verdadeiro prometido, o Rei destituído da glória por obediência ao Pai e amor aos Homens, passava no meio da cidade. Mas, os judeus não o reconheceram. A mesma multidão que o aclamou como filho de Davi e bendito, porque vinha em Nome do Senhor para cumprir Suas promessas, perguntava: “Quem é Ele?” e, pouco tempo depois, gritava: “Crucifica-O!”, sob o comando dos líderes judeus.

Jesus foi aclamado sob inspiração do Espírito Santo, para cumprir as profecias. Mas, não foi reconhecido. É por isso que nós fomos levados a reconhecê-lO, profeticamente, em lugar do Brasil, em lugar dos perdidos, em lugar dos judeus, em lugar de todo aquele que não reconhece ao Senhor como o filho de Deus, prometido para nossa salvação. É por isso que, como ovelhas do Seu pasto, fomos levados a afirmar que reconhecíamos a Sua Voz, a Sua Presença, o Seu Mover, a Sua autoridade sobre nós. NÓS RECONHECEMOS o Senhor.

E, por isso, O entronizamos, enquanto clamávamos: BENDITO É AQUELE QUE VEM EM NOME DO SENHOR!

Jackeline Sarah
jackelinesarah@compromissokandeya.com
outubro/2006

Nenhum comentário: