quinta-feira, 27 de novembro de 2008

UMA BOA NOTÍCIA


Há no ser humano um grande desejo de erguer aos seus deuses lugares de habitação, moradias, templos, onde possam receber adoração, sacrifícios, preces. Nas histórias das civilizações mais antigas, também, encontramos edificações e, até mesmo, bosques e rios com estas finalidades. Isso não foi diferente na História do Povo Judeu, escolhido por Deus para ser um povo separado e que manifestaria Sua Luz a todos os demais povos. O próprio Deus havia dado a Moisés o modelo do Tabernáculo e da Tenda da Congregação, onde a Glória de Deus Se manifestava e Deus falava com Moisés. Mas, nos dias de Davi, desejou o rei construir para Deus uma casa, onde Ele pudesse habitar, já que o próprio rei morava em palácios. Embora afirmando que Deus não habita em tendas nem em templos feitos por mãos de homens, o Senhor permitiu que o desejo de Davi se tornasse real nos dias de seu filho, Salomão. Salomão construiu um templo magnífico, inigualável e o dedicou ao Nome do Senhor, pedindo que o próprio Deus ali fizesse habitar Sua glória e ouvisse as preces do Seu povo naquele lugar ou de onde estivessem para lá voltados. E a Glória de Deus realmente Se manifestou ali com tamanha força e intensidade que os sacerdotes que ministravam adoração ao Senhor não podiam permanecer em pé.

Aquele templo construído por Salomão, ao longo dos séculos, foi dilapidado, profanado e, por fim, destruído. O povo judeu nunca cessou de tentar reconstruí-lo, embora não o tenham feito com a mesma magnitude e grandeza. Na época em que Jesus viveu historicamente em Israel, Ele mesmo esteve no Templo várias vezes, demonstrando, inclusive, zelo e ira devido ao comércio descaradamente feito no Templo. Aliás, algumas das acusações que O levaram à condenação de morte tinham a ver com a destruição e reconstrução do Templo, conforme interpretação dos Seus acusadores.

Cabe aqui a boa notícia de que falamos.

Leia mais em: Uma boa notícia.

Nenhum comentário: